modelo de procuração ad judicia

Modelo de Procuração Ad Judicia

A procuração ad judicia é um instrumento judicial, em que o cliente, que é o outorgante, autoriza o advogado a fazer sua representação em um processo judicial, sendo o propositor ou não da ação. Você vai conhecer um pouco mais sobre esse importante instrumento assim como ferramenta para oficiais usarem, como por exemplo o modelo de procuração ad judicia!

PUBLICIDADE

Procuração geral e específica

A procuração ad judicia, portanto, é uma forma de passar poderes ao advogado, no sentido de representação do cliente, seja ele réu ou qualquer outro ator envolvido no processo.
Porém, a procuração ad judicia pode ser de dois tipos, com relação à abrangência dos poderes concedidos ao advogado. Nesse sentido, a procuração poderá ser específica ou geral, compreendendo mais ou menos poderes concedidos ao advogado.

Do modelo de petição inicial

Montar uma petição do zero não é nada fácil e leva um certo tempo para fazê-la. O ideal e é o que muitos advogados usam, ter um modelo padrão para determinados tipos de petições e procurações como é o caso do modelo de procuração ad judicia abaixo.

Poderes restringidos

A procuração será geral quando o advogado estiver de plenos poderes para atuar no processo. Arrolar testemunhas, contestar, comparecer às audiências, juntar documentos, replicar, e todas os outros atos elencados no art. 105 do novo CPC.
No caso de uma procuração ad judicia específica, os poderes são mais restritos, especificamente negociar e transigir. A procuração, assim como o modelo de petição no novo CPC tiveram alterações significativas.

Modelo de Procuração Ad Judicia e o novo CPC

O modelo de procuração ad judicia, no novo CPC, visou tornar o processo mais célere. Para que a justiça não seja bloqueada por pequenos detalhes, o novo CPC regulamentou procedimentos que já eram praticados no decorrer do processo.



A falta de informações sobre o arguido não é mais um fator causador para tornar o modelo de procuração ad judicia ineficaz, fazendo com que o processo seja anulado. Também instituiu as diligências, com o intuito de realizar a coletas desses dados.

O autor de ação ganhou um prazo extra

Também houve mudanças no uso de alguns termos específicos. Com o objetivo de um entendimento melhor da letra da lei, o termo “juízo” foi utilizado para substituir os anteriores “juiz” e “tribunal”, por exemplo.

Os avanços são de grande valia. Um autor de ação indenizatória, por exemplo, não será prejudicado, caso confirmado o cabimento da ação, por falta de dados de contato do réu, por exemplo, ou pela falta do número de seus documentos de identificação.

A emenda no modelo de procuração

Essa possibilidade é concretizada através da normatização de uma emenda no modelo de procuração ad judicia inicial. Assim sendo, se a petição inicial não atender os requisitos previstos nos artigos 319 e 320 do novo CPC, caberá emenda em até 15 dias.

O novo CPC traz, também, a citação do réu com um mínimo de 20 dias de antecedência para uma audiência preliminar de mediação ou conciliação.

Manutenção de conquistas

A conquista desses progressos no modelo de procuração no novo CPC, como dito, são muito mais regulamentações do que novidades, propriamente ditas. O procedimento de diligências já praticado há algum tempo, em alguns casos, com o mesmo objetivo.

Independentemente disso, são bem vindos os avanços e o que se espera é que auxiliem na manutenção da justiça já conquistada e na socialização da mesma.

Modelo de Procuração Ad Judicia
5 (100%) 4 votes